15/06/2010

Fim de semana com meus amores


Aproveitando a viagem dos queridos amigos Duda e André, dormi abraçada com essa figurinha deliciosa, a Mamy. Para quem prefere gatos, acha que cachorros são barulhentos, lambões e grudentos, eu até que lido bem com o beijo de língua que Mamy me dá para me acordar. E, como boa madrinha, adoro me gabar de estragar a educação que os pais dão: Glória, tadinha, normalmente impedida de subir na cama, ganha espaço e é incentivada a fazer bagunça no espaço do casal. Madrinha e avó são as melhores coisas da vida, sempre disse isso.

Falar da minha relação com as meninas me remete ao meu desejo de ser tia. TIA!!!! Já sou mãe de três (uma enteada, sempre lembrando), que me completam, e não me deixam esquecer o trabalho que um filho requer. Não acho absurdo comparar bicho com criança, não. Se a gente ama bicho, com filho é pior. Se a gente se preocupa, gasta dinheiro, tempo, atenção, carinho com bicho, com criança é pior. Então as minha meninas são termômetro do desejo de ser mãe. E esse, por enquanto, tá marcando próximo de 0°.

Mas o termômetro de tia.... ahhh! Esse tá apitando! Queria uma criança para estragar, maquiar, brincar de guerra de bexiga de água, fazer meleira na cozinha, ler livros na hora de dormir, dar porcaria para comer, ensinar brincadeira idiota para ela repetir milhões de vezes... ahhh, isso é quero para ontem! Ser tia dá a garantia de ter tudo o que é bom, sem as coisas ruins!

E cadê esse sobrinho, meu deus???? Vou fazer furos nessas camisinhas alheias, falsear os anticoncepcionais... qual o nome para isso? Terrorismo obstetrício????

07/06/2010

Insênicos

Meu primeiro trabalho como maquiadora artística, e eu aprendi milhares de coisas do que NÃO se deve fazer, materiais que não se deve usar, e principalmente, a como planejar o tempo necessário para as maquiagens.

16 atores iniciantes, pouquíssimo tempo para maquiar todos eles, e cada um com o seu desejo, sua características singular: as meninas que querem ou não brilho, os rapazes que não querem nada no rosto, depois querem... ai, ai!

Pude contar com a ajuda de colegas maquiadores, o que literalmente me salvou. A eles minha eterna gratidão... e á Renata, Andréa, Guilherme, Lara, pela paciência que tiveram comigo e minha inexperiência.

No final, só alegria: a peça foi um sucesso, todos me elogiaram (pelo menos na minha frente), fiquei com a sensação do trabalho realizado. E a vontade de fazer mais!!!

Pois é: tamos aí. É só chamar e eu topo qualquer desafio maquilante. E aproveita enquanto eu cobro só os custos, pq em breve serei profissional, e vou cobrar cachê! Rs